Fotografi-ca-mente …e com o coração!

Quais SENSAÇÕES percorrem a imagem e a decisão do clique?

O que acontece se eu fechar meus olhos atentos, atónitos e circundantes para tocar, saborear, cheirar e ouvir?

Com ou sem movimento? Incluir profundidade de campo? Grãos/ pixels? E qual tonalidade ou white balance? Fotometria ideal, super ou sub exposta? Que tal congelar com movimento? Qual o ângulo? E quanto a distância focal? Tudo isso tem a ver com linguagem e com a forma que se pretende capturar e registrar tecnicamente a imagem.  

Além dos fatores técnicos, a criação da imagem também é diretamente influenciada por um conjunto de elementos psicológicos, biológicos e sociais. No meu TCC da Pós-Graduação em Fotografia eu escrevi que “A fotografia é construída segundo a interpretação do fotógrafo, e também segundo a forma que ele decidiu fazê-la ou intenção, tudo isso submetido a um modo particular de ver o mundo”. Eu melhoraria essa frase dizendo “tudo isso submetido a um modo particular de ver E SENTIR  o mundo”.

Um amigo querido me convidou para irmos ao teatro. Chegando lá, descobri que 100% do espetáculo seria acompanhado de olhos vendados. Tratava-se de uma impressionante criação, idealizada pela Thereza Piffer e muito bem trabalhada pelos atores do Grupo Sensus. Incita  reflexões sobre a vida e a morte, a liberdade e as nossas próprias sombras. O resultado? Indescritível e de uma leitura ímpar e particular.

Interrompida a visão, todos os sentidos foram aguçados, um verdadeiro e delicioso mergulho num desconhecido dentro de mim mesma.

Eu comigo mesma, pulsando meu próprio ser, tropeçando nas minhas sombras, saboreando meu viver.

Eu comigo mesma, lá no fundo, pertinho do coração, sentido minhas fraquezas, desfrutando meu entusiasmo.

Eu comigo mesma, descobrindo-me, sentindo-me, olhos vendados e um só foco: a alma.

A alma a bailar por cada pedacinho da minha essência.

Isso me provocou o desafio de propor fotografias, compostas pelo sentir e saber, ou seja, formadas pelas sensações em vigor, além dos conhecimentos técnicos já acumulados pela profissão.

Lot`s of butterflies surgiram por aqui, …pra uma fotógrafa, amante do ver e observar, abdicar do seu sentido mais usual não é lá que se diga confortável.

…E lá fui eu, fotografar com olhos vendados. Grande experiência, início de um projeto.

A fotografia é uma constituição material, porém de construção e leitura subjetiva e particular a cada fotógrafo e observador, intimamente unidos por um processo de resignificação.

E estas constituições materiais, ainda que “projetadas para serem vistas”, tem inerentes à sua criação mais do que aquilo que se vê, mas a intuição, instinto e o sentir…!

 Amo os sabores, os cheiros, os toques, os sons e finalmente o ver, do meu processo de criação fotográfica.

Obrigada querida Thereza Piffer e Grupo Sensus por consentirem o meu recorte pessoal sobre suas ofertas  sensoriais.

Beijos com 5 sentidos!

Local? Casa das Rosas

Para saber mais sobre o Grupo Sensus, clique aqui.

Algumas fotos! As 10 primeiras com olhos vendados e, para as demais fotos, olhos atentos. 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: