Laos – Luang Prabang

Luang Prabang é linda, patrimônio da humanidade e dá pra entender porquê.

Mas antes disso, vou falar um pouco do Laos, onde senti que a viagem ficou beeeeem exótica. Começa pelo avião da Laos Ailines, pequenino, quase um jato particular com lugares extras. Exagerei um pouco vai, mas o avião era pequeno e bastante sucetível a turbulências.

Algumas curiosidades sao relevantes: o país é extremamente pobre, chegando aqui finalmente senti estar escondida no mapa, mas tem cada charminho. Hoje almocei num restaurante super fofo que oferece slow food, caprichosos né? Adoooro! Agora, depois de ter assistido a belíssima cerimônia dos monges que começou as 5hs da manhã, vou conhecer algumas cachoeiras.

O caminho lembra comunidades rurais da Amazônia, mas ainda aprecio bastante mais a Amazônia.

Casinhas humildes, com moradores ainda mais modestos, é comum avistá-los carpindo, preparando lenha ou produzindo ferramentas.

Barraquinhas, gente cozinhando na área externa das casas, varais onde pinduram-se de tudo: panelas, roupas, comidas e ferramentas. Muita gente sentada ou deitada, vislumbrando o horizonte (ou a mata).

Dividindo a estrada, bois, elefantes e alguns dogs também.

O tour é um tanto pitoresco. Acho que vale muito mais como aprouche à cultura do que para ver a cachoeira, alvo do passeio.

A parte mais legal de estar na cachoeira foi ter encontrado 3 simpáticas brasileiras. Como eu estava carente de falar português, usar da precisão que gosto com as palavras, entender e ser entendida em 100% da comunicação, ufa! Que delícia! Compartilhamos um pouco dos nossos roteiros e impressões, além de recordamos com gargalhadas as palavras do inglês ching ling como sapiqui (speak), cimôu (small) e piutiful (beautiful). Elas estavam viajando num grupo de 7 com a turma da ioga, olha que bacana.

Meninas, adorei o “cimôu” tempo que estivemos juntas e já posso “sapiqui” que vocês são muito “piutifuls”. Mandem notícias e fotos Vietnamitas!

Nesse post, fotos da cidade de Luang Prabang.

Confira a cerimônia dos monges clicando aqui.

E fotos dos passeios para ver elefantes, cachoeira e gruta clicando aqui.

Anúncios

Férias (sozinha!) na Ásia

Um amigo de infância me definiu como Patricinha Hippie. Ele quis dizer que sou toda vaidosa e cheia de cuidados, mas também uma aventureira que não dispensa conhecer a vida. Faz sentido! Tenho lá minhas peruísses, exigências e precauções, mas sou tão facilmente de bem com a vida que me divirto com coisas simples. E tão exageradamente curiosa, que supero algumas mais complicadas se for preciso para ter uma nova experiência de vida. E foi mais ou menos assim minha viagem, uma patricinha, de malas gigantes e vermelhas, cheia de medos e cuidados, se infiltrando em descobertas hippies, inusitadas e até desorganizadas.

Entre contrastes e semelhanças, passeei pelas águas azuis da Ilha de Capri e também pelo barroso rio Mekong, no Laos. Conheci a Torre Eiffel e também prestigiei a diversão de tomar banho de rio com elefantes (fooofos, a melhor parte da viagem). Saboreei comidas sentada em restaurantes que tem suas mesas, cadeiras de plástico e até cozinha nas ruas, mas também me deliciei com o estilo slow food (amo!) em restaurante de culinária prime. Fiz compras na Malásia e em Nova Iorque.

Literalmente conheci e compartilhei meus dias com gente de toda cor e raças de toda fé. Recebi bênçãos hindus, budistas e até mulçumanas.

Tive privilegiados bate papos com gente do mundo todo, além dos povos locais. Aprendi a dizer bom dia e obrigada em cada um dos diferentes dizeres, mas similares sorrisos do sudeste asiático.

Massagens, sabores, costumes, lugares, pessoas, religiões, “sentires”.
Uma viagem surpresa, que rendeu muitas descobertas sobre o mundo, a vida e sobre eu mesma.

Nas próximas semanas, vocês verão por aqui os posts que escrevi durante a viagem. Alguns falam de privilégios e perrengues, contam o que passei. Outros falam das descobertas e despertares, vou compartilhar um pouco daquilo que experimentei viver.

E para que você possa provar também: muuuuitas fotos. Essas eu dedico a todos os interessados em conhecer visualmente ou em sensações, um teco dos modos do sudeste asiáticos. Taste it! I advice!

E pra começar, um breve vídeo com um resumo do que está por vir. Comentários e dúvidas são todas bem vindas. Vejo vocês no próximo post: Milão.

Agradecimento especial à Mariana Carvalho que morou alguns meses por lá e me deu as melhores dicas.

Obrigada também as amigas (e amigos) que compartilharam da idéia, super incentivaram, e até me apareceram com pesquisas, presentinhos, dicas, matérias de revistas e guias de viagens, uauuu, muita gente quase foi comigo: Ana Flávia Faria, Ana Peralta, Tati Abib, Mirtes Jurado, Fernanda Grigolin, Mariana Espírito Santo, Vanessa Abdo Benaderet, Maíra Cripa Alvim Rotundo, Anna Silveira, Graciela Dias, Patrícia Splinder, Tiago Amaral, Evelisy Peres e Vivi Peres.

%d blogueiros gostam disto: